Recolocação Através do Linkedin

ext

Antonio Carlos Vendrame

Algumas fontes afirmam que o Brasil possui 12 milhões de desempregados, outras falam em 13 milhões e poucas outras chegam aos 14 milhões. Não importa o número exato, o problema é que o país está com muitos desempregados.

No passado a forma de buscar emprego era o velho “Estadão” ou a “Folha” de domingo. Com o passar dos anos os empregos foram sumindo dos jornais e, passaram para os mãos dos headhunters. Mas hoje, os empregos estão distribuídos em várias fontes: sites de empregos, networking pessoal, Linkedin e nos próprios sites das empresas.

É difícil afirmar qual é mais eficiente, uma vez que todas as fontes citadas são instrumentos poderosos na hora da recolocação. Se o candidato puder utilizar todas, mais rápido se recolocará.

Neste artigo gostaria de falar do Linkedin. Tenho utilizado com frequência para buscar candidatos e tenho conseguido preencher várias vagas de emprego em minha empresa. No entanto, há momentos que começo a duvidar se realmente temos vários milhões de desempregados, dada a dificuldade em preencher algumas vagas.

Ora, quem quer se recolocar deve facilitar ser encontrado. A grande maioria dos candidatos não deixam seus dados de contato no Linkedin. Sem estes dados, você precisa se conectar com o candidato e depois iniciar uma conversa com ele ou então, utilizar o InMail que é pago e limitado para o usuário. Assim, fica aqui a primeira dica: candidato facilite ser encontrado, deixe seus dados de contato no Linkedin.

Outra questão digna de nota é que as pessoas em geral navegam pelas outras redes sociais com uma incrível frequência. No entanto, o Linkedin que é uma rede social profissional é desprezada e verificada muito de vez em quando. Passei uma mensagem para um candidato, depois de 23 dias recebi um retorno, quando então a vaga já tinha sido preenchida. Com um minuto ao dia é possível entrar no Linkedin e verificar se há mensagens.

Um conselho que sempre dou aos candidatos que buscam emprego é: parem de navegar por redes sociais que nada agregam, exceto fofoca de vida alheia e discussões sem sentido e, passe a navegar no Linkedin buscando oportunidades e, ao mesmo tempo recebendo notícias, informações e atualizações profissionais.

Ao invés de ficar postando fotografia do prato que comeu no almoço, do que você bebeu à noite, a roupa nova ou a maquiagem feita, comece a postar uma dúvida que tem sobre sua área profissional, escreva um artigo, que nem precisa ser inédito ou simplesmente leia artigos e publicação de outros, dando likes ou a sua opinião (de forma educada, é claro).

Finalmente, se você quer se recolocar, seja polido com seu interlocutor e mostre interesse na vaga que está sendo oferecida. Lembre-se que o selecionador ou a pessoa que está fazendo contato com você não lhe conhece e, as informações contidas no Linkedin podem não ser suficientes para satisfazer as dúvidas que ela possui. Dizer à pessoa que lhe oferecem uma vaga que todas as informações a seu respeito se encontram no Linkedin e, interromper um diálogo que eventualmente poderia render um emprego.

Tenho certeza que seguindo estes simples conselhos, em muito breve sua recolocação virá e você se encontrará no mercado de trabalho novamente. Boa sorte!

Recolocação Através do Linkedin
5 (100%) 1 vote
Fechar Menu