O PRIMEIRO EMPREGO COMO ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

0 (2)

 Antonio Carlos Vendrame

Muitos colegas recém formados ou ainda sem oportunidade do primeiro emprego como engenheiro de segurança me perguntam como obter o primeiro trabalho.

Falo com a experiência de mais de 30 anos, coordenando cursos de engenharia de segurança do trabalho e empresário do setor. É fato que os engenheiros que vão cursar engenharia de segurança do trabalho têm a intenção de agregar mais uma formação ao seu CREA, sempre pensando numa possível elevação de salário.

No entanto, a estatística que tenho é que somente 10% dos engenheiros de segurança, ao se formarem, vão migrar para a segurança do trabalho. O primeiro impeditivo é o salário. Recordo-me de uma entrevista que fazia com um candidato, que apesar de engenheiro em outra modalidade, não tinha qualquer experiência na área de segurança do trabalho e, mesmo assim, não queria abrir mão do salário de experiente engenheiro, para iniciar uma nova fase em segurança do trabalho.

Muitas vezes o candidato não entende que, por mais experiência que possua em elétrica, eletrônica, química, mecânica ou civil, na área de segurança do trabalho ele é um trainee, que passará algum tempo se preparando até que possa exercer plenamente suas funções. Não há como pular esta fase!

É preciso se colocar no lugar da empresa e perguntar: por que eu pagaria um salário de engenheiro pleno para alguém que não possui experiência? A empresa pagará o salário de pleno para quem realmente é pleno…

Pior ainda é a condição daqueles que não possuem experiência como engenheiro e, posteriormente cursam engenharia de segurança e não querem passar pela fase de trainee. Estes levarão vários anos até que consigam encontrar uma empresa que confie em seu potencial.

Por outro lado, os técnicos de segurança do trabalho, que posteriormente se graduam engenheiros e depois engenheiros de segurança, fluem de forma mais fácil ao cargo de engenheiro de segurança, vez que caminham continuamente numa esteira de crescimento.

Mas ainda assim, encontramos muitos engenheiros de segurança atuando como técnicos de segurança, aguardando uma vaga na empresa. Como também encontramos muitos engenheiros de segurança cursando técnico de segurança para poder atuar numa vaga com salário menor.

O segundo impeditivo para o engenheiro de segurança migrar de área é o medo. A área de segurança do trabalho implica em enorme responsabilidade do profissional técnico e, muitos profissionais recém formados não se sentem confortáveis em assumir uma área que vai lidar com vidas e, qualquer deslize pode redundar em várias penalidades ao profissional.

Enfim, a engenharia de segurança do trabalho é uma área fantástica e, muito nobre dentre as engenharias, inclusive por sua remuneração diferenciada; no entanto, requer dos profissionais sólido e vasto conhecimento tanto na área técnica como jurídica, exigindo do profissional muita leitura para atualização de seus conhecimentos.

Boa sorte a todos!

 
Avaliação
Fechar Menu