LTCAT: PREENCHIMENTO CORRETO PODE EVITAR AUTUAÇÃO DA RECEITA FEDERAL

O LTCAT – laudo técnico das condições ambientais de trabalhoé um documento fundamental da legislação previdenciária. Este laudo analisa as condições ambientais do local de trabalho dos empregados, atestando se o segurado-empregado faz jus, ou não, à aposentadoria especial. Assim sendo, preenche-lo corretamente é muito importante para evitar problemas, especialmente multas.

Caso contrário, a empresa pode ser autuada pela Receita Federal e sofrer sanções. Por isso saiba mais sobre o assunto a seguir, e veja também como a Vendrame pode ajudar a elaborar e redigir esse documento da forma certa.

O preenchimento do LTCAT

Já faz algum tempo que a Receita Federal tem cobrado de forma impositiva o LTCAT das empresas. Assim, na medida em que os locais de trabalho não apresentam as devidas condições de segurança, acabam sofrendo algumas sanções.

Desta forma, o preenchimento do LTCAT precisa ser feito de forma correta. Isto porque:

  • Esse documento indica os níveis de exposição aos quais os trabalhadores estão sujeitos;
  • Graças a ele é possível avaliar fatores como ruídos, calor, agentes químicos e outros no ambiente de trabalho;
  • O laudo também avalia a questão dos equipamentos de proteção individual ou coletiva, havendo a possibilidade de neutralização dos agentes nocivos.

De forma geral, todo e qualquer fator de risco para o segurado está presente no LTCAT. A partir desse fato é possível minimizar e eliminar problemas dessa natureza sem entraves.

Outras informações importantes para você

Após considerar os principais aspectos do LTCAT, uma das formas mais eficientes de evitar preenchimentos incorretos é seguir a sua estrutura. Assim você precisa conhecer o passo a passo correto para isso. Nos termos do art. 262 da IN 77 da Previdência Social, o LTCAT deverá possuir os seguintes elementos informativos básicos constitutivos:

I –  se individual ou coletivo;

II – identificação da empresa;

III – identificação do setor e da função;

IV – descrição da atividade;

V – identificação de agente nocivo capaz de causar dano à saúde e integridade física, arrolado na Legislação Previdenciária;

VI – localização das possíveis fontes geradoras;

VII – via e periodicidade de exposição ao agente nocivo;

VIII – metodologia e procedimentos de avaliação do agente nocivo;

IX – descrição das medidas de controle existentes;

X – conclusão do LTCAT;

XI – assinatura e identificação do médico do trabalho ou engenheiro de segurança; e

XII – data da realização da avaliação ambiental.:

Na medida em que esses detalhes forem avaliados de forma correta, a elaboração do LTCAT será realizada adequadamente.

 

Conte com a ajuda de uma consultoria especializada

A área de segurança do trabalho traz vários desafios, tanto para empregadores quanto para o empregador. Por isto, contar com uma empresa como a Vendrame faz toda a diferença para você. Com nossos serviços oferecemos suporte completo para sua empresa:

  1. engenharia de segurança do trabalho,
  2. saúde ocupacional,
  3. assistência técnica em perícias e
  4. treinamentos.

Entre em contato conosco hoje mesmo e veja como podemos ajuda-lo, tanto para elaborar laudos quanto outros serviços.

veja mais

COVID 19 DEVE CONSTAR NO PPRA?

COVID 19 DEVE CONSTAR NO PPRA?

Temos recebido constantemente questionamento das empresas acerca da inserção no PPRA, na seção do risco biológico, do SARS-CoV-2, causador da atual pandemia...

Confira

veja mais

COVID 19 DEVE CONSTAR NO PPRA?

COVID 19 DEVE CONSTAR NO PPRA?

Temos recebido constantemente questionamento das empresas acerca da inserção no PPRA, na seção do risco biológico, do SARS-CoV-2, causador da atual pandemia...

Confira