ERGONOMIA NA SEGURANÇA DO TRABALHO: 7 PRINCIPAIS RISCOS NO AMBIENTE DE TRABALHO

O conceito de ergonomia na segurança do trabalho está cada vez mais em pauta. Há uma grande necessidade da empresa de implementar políticas que obedeçam a legislação vigente, garantindo a segurança dos trabalhadores e facilitando as interações entre homem e máquina.

Além de preservar a integridade física dos funcionários, a ergonomia traz mais produtividade e benefícios. Isto tanto para a empresa quanto para os trabalhadores. Mas, para atingir o grau de segurança do trabalho desejado, é preciso atentar para algumas práticas que afetam a saúde no trabalho.

Assim, a AET – Análise Ergonômica do Trabalho, detalhando os principais riscos no ambiente de trabalho e a prestação da devida orientação aos funcionários são aspectos fundamentais para se prevenir de males decorrentes do trabalho.

Confira alguns dos principais riscos ergonômicos no ambiente laboral:

  • Problemas de ergonomia na segurança do trabalho por postura inadequada

É a causa mais comum de afastamento de trabalhadores. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 80% das pessoas tiveram ou vão possuir problemas relacionados à coluna pelo menos uma vez na vida.

A postura inadequada ocorre com mais frequência em ambientes nos quais existe a necessidade de permanecer muito tempo sentado, o que pode causar enfraquecimento e lesões em outras áreas do corpo. Um dos quadros clínicos possíveis é o desenvolvimento de DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho).

 

  1. Repetição de movimentos

A repetição dos mesmos movimentos conduz a um caso específico de tendinite, conhecido como LER (Lesão por Esforço Repetitivo). Essa enfermidade causa dores e limita a movimentação da região afetada.

 

  1. Iluminação deficiente – outro problema grave de ergonomia na segurança do trabalho

Em ambientes com pouca iluminação o colaborador produz menos e fica mais sujeito a acidentes por não conseguir visualizar com clareza o que se passa a seu redor. Além disso, causa fadiga visual e olhos vermelhos.

 

  1. Ritmo acelerado de trabalho

Um ritmo demasiadamente alto nas atividades laborais pode trazer estresse físico e psicológico. Entre eles, podemos destacar a hipertensão arterial, o transtorno de ansiedade, a depressão e as doenças do trato gastrointestinal, como úlceras e gastrite.

 

  1. Monotonia de atividades

A repetição das mesmas tarefas todos os dias desestimula o trabalhador, que se sente desmotivado e com interesse reduzido. É importante que o gestor esteja atento e sempre desenvolva atividades diferentes com o seu grupo de trabalho, com o intuito de mantê-lo integrado à empresa. A falta de interesse compromete a saúde mental e favorece o desenvolvimento de distúrbios de ansiedade e depressão.

 

  1. Grandes jornadas de trabalho

O esforço físico ou mental exagerado causa fadiga e estresse e pode gerar a um estado de Burnout, um quadro cada vez mais comum em um ambiente de trabalho. Esse quadro corresponde ao colapso físico e mental e exige atenção médica imediata.

 

  1. Ergonomia na segurança do trabalho e levantamento de cargas pesadas

Quem executa atividades que exige força para levantar ou transportar cargas pesadas fica mais sujeito a desenvolver lesões, principalmente na coluna, nos ombros e nos braços. Por isso, o trabalhador nunca deve carregar pesos além da sua capacidade.

 

Faça sua AET – Análise Ergonômica do Trabalho com a Vendrame

A Vendrame atua na Segurança do Trabalho desde 1999, sempre aprimorando as técnicas de SST de forma a facilitar a gestão dos empreendimentos.

A consultoria atua no conceito 360°, que visa atender de forma abrangente todas as necessidades dos seus clientes em SST. A Vendrame possui expertise e reputação consolidada internacionalmente em quatro setores relacionados à Segurança do Trabalho: (i) engenharia de segurança do trabalho, (ii) saúde ocupacional, (iii) assistência técnica em perícias e (iv) treinamentos.

veja mais

veja mais