Engenharia em Segurança do Trabalho

Atuamos em diversos seguimentos visando a segurança no trabalho, saúde do trabalhador e meio ambiente, através de análise, confecção, implantação e estruturação dos programas com base nas Normas Regulamentadoras (NRs), estabelecidos pela Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalho.

Além de serviços de elaborações de laudos, avaliações e auditorias.

Veja nossos serviços e escolha o que melhor atende a sua organização!

Com base na Norma Regulamentadora NR-09, estabelecido pela Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalho, através da Portaria 3214/78, do Ministério do Trabalho, o PPRA – Programa de prevenção de risco ambientais, é um documento gerenciador que tem como objetivo definir uma metodologia de ações preventivas para garantir a preservação da saúde e integridade física dos trabalhadores, diante dos riscos existentes no ambiente de trabalho.

PPRA – Programa de prevenção de risco ambientais

Por lei, todos os empregadores e instituições que mantém vinculo empregatício com seus empregados são obrigados a implementar o PPRA, sejam industrias, hotéis, prestadores de serviços, escolas, hospitais, transportadores, farmacêuticas, etc. O não cumprimento da norma estabelece penalidades que variam de multas e até interdições. Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

Toda empresa é obrigada a implementar o PPRA?

Os riscos ambientais estão presentes em agentes físicos, químicos e biológicos, de acordo com a concentração ou intensidade no qual o trabalhador é exposto, os quais são identificados através de:

*Bactérias

Agentes Biológicos

*Fungos

*Bacilos

*Parasitas

*Protozoários

*Virus, etc.

Agentes Quimicos

*Poeiras e fumos

*Névoas e neblinas

*Gases e vapores

Agentes Físicos

*Ruídos e vibrações

*Pressões anormais em relação a pressão atmosférica

*Temperaturas extremas

*Radiações ionizantes e radicais não ionizantes

LTCAT – Laudo Técnico das Condições do Trabalho

O LTCAT tem por finalidade cumprir as exigências da legislação previdenciária – Art. 58 da Lei n° 9.528 de 10 de dezembro de 1997, no qual visa documentar a existência ou inexistência de aposentaria especial pelo INSS. Dar sustentabilidade técnica às condições ambientais existentes na empresa e subsidiar o enquadramento de tais atividades no referente ao recolhimento das denominadas Alíquotas Suplementares do Seguro de Acidente do Trabalho (SAT) criadas pelo texto da Lei n° 9.732 de 11 de dezembro de 1998.

Toda empresa precisa elaborar o LTCAT?

Empresas que suspeitem de atividades que gerem direito a aposentadoria especial SIM!

A obrigatoriedade da elaboração do LTCAT não está vinculada ao tipo de empresa, segmento ou mesmo quantidade de empregados. O que importa são as atividades desenvolvidas que exponham o trabalhador a agentes agressivos previstos na legislação trabalhista previdenciária, e que gere direito a aposentadoria especial. A periodicidade do LTCAT não é fixa. O mesmo deve ser revisto sempre que ocorrer qualquer alteração no ambiente de trabalho ou em sua organização, conforme a Instrução Normativa INSS/PRES Nº 77, de 21 de janeiro de 2015, artigo 261, incisos 3 e 4 – IN 77 Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

ORGANIZAÇÃO DE CIPA - Comissões Internas de Prevenção de Acidentes

Com base na Norma Regulamentadora NR-05, estabelecido pela Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalho, através da Portaria 3214/78, do Ministério do Trabalho, a CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes tem como objetivo prevenir acidentes e doenças decorrentes do trabalho, mantendo o sempre o foco da preservação da vida, promoção da saúde do trabalhado e melhorias nas condições de trabalho.

A CIPA é composta por representante do empregador e dos empregados, de acordo com as regras previstas no Quadro I da NR 05. Como atribuições, podemos afirmar que ela deve ser a ponte que liga empregadores e empregados. Cabe, ainda, à CIPA: observar/relatar as condições de risco nos ambientes de trabalho e solicitar medidas para reduzir, até eliminar e/ou neutralizar, os riscos existentes.

O número de membros titulares e suplentes da CIPA depende das características de cada empresa, previstos no Quadro I da NR.

O processo eleitoral da CIPA deve ser documentado, incluindo atas eleitorais, posse dos representantes e calendário anual das reuniões ordinárias, para que os mesmo fiquem a disposição da fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego.

Mantenha-se em conformidade com a NR 05! Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

SIPAT – Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho

Elaboração e promoção de eventos relacionados a semana interna de prevenção de acidentes, que tem como objetivo promover e conscientizar os funcionários sobre prevenção de acidentes, saúde e segurança no local de trabalho. É um período e oportunidade para reforçar os treinamentos já realizados, através de atividades diversas, palestras, ações que reforce o este assunto.

A SIPAT é obrigatória para todas as Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPA), conforme NR-05, estabelecido pela Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalho, através da Portaria 3214/78, do Ministério do Trabalho.

A SIPAT precisa ser documentada para que seja comprovada a realização do evento! A semana deve acontecer para toda a empresa, independente do número de funcionários, tamanho ou segmento!

Não há temas obrigatórios para a realização do programa. Os temas podem ser construídos de acordo com a realidade da empresa, sempre visando a saúde e segurança do trabalhador.

Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário

Mantenha-se em conformidade com IN 84! Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

Estabelecido pela Instrução Normativa Nº 84 do INSS, de 17/12/2002, alterado pela Instrução Normativa Nº 99 de 05/12/2003, o PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário é um documento histórico-laboral do trabalhador que contém informações relativas às atividades do empregado na empresa, como dados administrativos, registros ambientais, resultados de monitoração biológica, dados pertinentes durante todo o período em que este exerceu suas atividades na respectiva empresa, conforme formulário instituído pelo Instituto Nacional de Segurança Social (INSS).

A elaboração do PPP é obrigatória às empresas que promovem exposição dos empregados a agentes nocivos químicos, físicos, biológicos ou associação de agentes prejudiciais à saúde ou à integridade física, considerados para fins de concessão de aposentadoria especial.

O PPP tem como finalidade:

*Comprovar as condições para habilitação de benefícios e serviços previdenciários, em particular, o benefício de aposentadoria especial;

*Prover o trabalhador de meios de prova produzidos pelo empregador perante a Previdência Social, a outros órgãos públicos e aos sindicatos, de forma a garantir todo direito decorrente da relação de trabalho, seja ele individual, ou difuso e coletivo;

*Prover a empresa de meios de prova produzidos em tempo real, de modo a organizar e a individualizar as informações contidas em seus diversos setores ao longo dos anos, possibilitando que a empresa evite ações judiciais indevidas relativas a seus trabalhadores;

*Possibilitar aos administradores públicos e privados acesso a bases de informações fidedignas, como fonte primária de informação estatística, para desenvolvimento de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como definição de políticas em saúde coletiva.

PCMAT – Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção

Com base na Norma Regulamentadora NR-18, estabelecido pela Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalho, através da Portaria 3214/78, do Ministério do Trabalho, o PCMAT – Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção, é um documento gerenciador dos riscos existentes no ambiente de trabalho, da área da construção cível.

Seu objetivo é estabelecer ações preventivas e corretivas para garantia da saúde e integridade física dos empregados, bem como medidas administrativas para operação segura de equipamentos e máquinas no processo da construção.

A elaboração e cumprimento do PCMAT é obrigatório nos estabelecimento de obras com 20 trabalhadores ou mais, contemplando os aspectos da NR 18 e outros aspectos complementares de segurança.

Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

PGR – Programa Gerenciamento de Riscos (NR-22)

Com base na Norma Regulamentadora NR-22, estabelecido pela Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalho, através da Portaria 3214/78, do Ministério do Trabalho, o PGR – Programa Gerenciamento de Riscos, é um programa gerencial dos riscos existentes no ambiente de trabalho, que tem como objetivo disciplinar as normas a serem observadas na organização e no ambiente de trabalho.

Estabelece ações preventivas e corretivas para garantia da saúde e integridade física dos empregados, bem como medidas administrativas para operação segura de equipamentos e máquinas no processo de lavra, das atividades de mineração.

O PGR é obrigatório às empresas de mineração subterrâneas e a céu aberto, garimpos, e em organizações ou ambientes que envolvam beneficiamentos e pesquisas minerais, independentemente do número de trabalhadores.

Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

APR-HO – Análise Preliminar de Riscos em Higiene Ocupacional

A Análise Preliminar de Riscos em Higiene Ocupacional APR-HO, é uma ferramenta essencial para elaboração de riscos ocupacionais. É uma técnica qualitativa para a identificação e classificação dos impactos de higiene ocupacional relacionados com a execução de atividades administrativas, operacional e de manutenção. É um documento muito utilizado pelos profissionais no processo de elaboração do PPRA.

Seu objetivo é estabelecer a caracterização básica das exposições através da pesquisa sistemática das tarefas desenvolvidas por um determinado GHE – Grupo Homogêneo de Exposição subsidiando a tomada de ações para estabelecer prioridades e periodicidade das avaliações, bem como decisões sobre controles emergenciais que mantenham as citadas exposições dentro da tolerabilidade.

O processo de desenvolvimento envolve informações de referências que são colhidas da seguinte forma:

*Visitas ao campo;

*Coleta de dados sobre as instalações;

*Listagem dos agentes ambientais

(riscos físicos, químicos e biológicos);

*Listagem dos trabalhadores por função, atividade e tarefas similares;

*Categorização do GHE/GES; − Análise Qualitativa da Exposição Ocupacional

*Atribuição da potencialidade de alteração, dano ou lesão à saúde

de cada agente ambiental;

*Entrevistas com os lideres e trabalhadores;

*Descrição das medidas de controle existentes;

*Definição do Perfil da Exposição Ocupacional;

A APR-HO deve ser revisada e atualizada diante das seguintes situações:

*Anualmente, já que é parte integrante do PPRA;

*Quando houver mudanças no processo de trabalho que implique negativamente ou positivamente;

*Quando sugerido pela área médica que através de queixas de trabalhadores, ou pelo desencadeamento de doenças que tenham nexo com o trabalho realizado pelo trabalhador.

PCA – Programa de Conservação Auditiva

Com base na Portaria nº 19, de 09 de abril de 1998, o PCA – Programa de Conservação Auditiva tem como objetivo a adoção de medidas de controle suficientes para a proteção dos trabalhadores expostos a níveis de ruído que possam desenvolver a perda auditiva induzida pelo ruído ocupacional (PAIRO).

Ele é um conjunto de medidas coordenadas que previnem a instalação ou evolução das perdas auditivas ocupacionais. É um processo contínuo e dinâmico de implantação de rotinas nas empresas.

Programa previsto na NR – 9, o PCA visa a preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequentemente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venha a existir no ambiente do trabalho. É O instrumento de gestão transparente e participativa que pressupõe ações a serem desenvolvidas no âmbito da empresa sob a responsabilidade do empregador.

O PCA é obrigatório em organizações e ambientes onde existir o risco para a audição do trabalhador. O ruído associado a agentes químicos, radiações ionizantes, frio/calor/vibração, acidentes com traumatismo cranioencefalico, barotraumas e alérgenos, são agentes ocupacionais que provocam perdas auditivas.

O benefício da implantação do PCA, além de conservação auditiva, valoriza o trabalhador, promove a elevação da autoestima, proporcionando melhor resultado e satisfação no âmbito ocupacional.

O PCA envolve a atuação de uma equipe multiprofissional, pois são necessárias medidas de engenharia, medicina, fonoaudiologia, treinamento e administração.

Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

PPR – Programa de Proteção Respiratória

Com base na INSTRUÇÃO NORMATIVA SSST/MTB Nº 1, DE 11 DE ABRIL DE 1994, o PPA – Programa de Proteção Respiratória é um conjunto de medidas que visa controlar a incidência de doenças ocupacionais associadas à inalação de materiais dispersos no ar e considerados prejudiciais à saúde.

A realização da análise critica dos resultados obtidos no monitoramento ambiental sinaliza medidas necessárias, de controle, suficientes para a proteção dos trabalhadores expostos as concentrações: de gases, vapores e particulados em suspensão, que possam desenvolver problemas respiratórios.

O PPR é obrigatório à todas as empresas em que seus usuários necessitam do dispositivo respirador, e que tenham ameaças como poeiras, fumos, névoas, fumaça, vapores e gases químicos.

Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

ELABORAÇÃO DE OS – Ordem de Serviço

Conforme a Portaria MTb n.º 3.214, de 08 de junho de 1978, NR-01, a Ordem de Serviço é um instrumento de extrema importância em toda a gestão de Segurança do Trabalho na empresa. É um Item obrigatório e primordial, onde nele é descrito todos os riscos existentes nas atividades a serem executadas pelo empregado, bem como medidas mitigadoras  para controle dos riscos, responsabilidades e ciência dos riscos envolvidos nas atividades a serem executadas, a favor da SST.

A estruturação da OS envolve os parâmetros legais e as necessidades internas organizacionais da empresa! Sua elaboração envolve itens como:

*Função

*Nome (do funcionário)

*Riscos da Operação

*EPI´s

*Medidas Preventivas

*Procedimento em casa de acidente de trabalho

*Atividades desenvolvidas

*Termo de responsabilidade

*Revisão

*Data de emissão

*Assinaturas

Entre outros necessários a características da empresa

Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

*Treinamentos

AVALIAÇÃO DE RUIDO EM ÁREAS HABITADAS, VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE

Em conformidade com a NBR 10151 e Resolução CONAMA 001/90, a avaliação de ruídos em áreas habitadas fixa as condições exigíveis para avaliação da aceitabilidade do ruído em comunidades. Ela especifica um método para a medição de ruído, a aplicação de correções nos níveis medidos (de acordo com a duração, característica espectral e fator de pico) e uma comparação dos níveis corrigidos, com um critério que leva em conta os vários fatores ambientais.

Com isso, a elaboração do laudo aborda informações dos levantamentos ambientais junto a divisa da propriedade, informando os níveis de pressão sonora durante o período diurno e noturno.

Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

ESPAÇO CONFINADO – NR 33

Com base na Portaria MTb n.º 3.214, de 08 de junho de 1978, NR-33, a avaliação e elaboração do laudo de Espaço Confinado tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados e o reconhecimento, avaliação, monitoramento e controle dos riscos existentes, garantindo a segurança e saúde dos trabalhadores.

Os espaços confinados são considerados qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana continua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é insuficiente ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio.

Identificar os espaços confinados e os riscos em cada um deles, ajuda na implementação e gestão em SST, por medidas técnicas de prevenção administrativas, pessoas, de emergência e salvamento. Assim é possível:

*Garantir a capacitação adequada e continua dos trabalhadores sobre os riscos, medidas de controle, de emergência e salvamento em espaços confinados;

*Garantir que a entrada no espaço confinado seja realizada somente após a emissão por escrito da PET (Permissão de Entrada).

*Garantir informações atualizadas sobre os riscos e medidas de controle antes de cada acesso aos espaços confinados.

*Garantir a utilização adequada dos meios e equipamentos fornecidos pela empresa.

*Comunicar ao vigia e ao supervisor de entrada as situações de risco para sua segurança e saúde ou de terceiros, que sejam de seu conhecimento; Cumprir com os procedimentos e orientações recebidos nos treinamentos com relação aos espaços confinados.

Mantenha-se em conformidade com a norma! Preserva a segurança!

Entre em contato, faça seu orçamento e converse com um especialista!

ELABORAÇÃO DE LAUDOS

O Laudo de Insalubridade.

Apresenta parecer conclusivo quanto as exposições no ambiente de trabalho consubstanciais em laudo em conformidade com os limites estabelecidos pela norma regulamentadora n° 15.

A NR15 tem por objetivo o levantamento de dados quantitativos e qualitativos que possibilitem determinar a existência, ou não, de insalubridade na empresa.

Elaboração de Laudo Técnico.

Apresenta a situação na qual se encontra as instalações elétricas, medição das grandezas elétricas e detecção de problemas nos painéis e quadros de distribuição de energia elétrica, identificando sua conformidade com as normas técnicas aplicáveis.

O seu objetivo é verificar a conformidade com a norma técnica brasileira ABNT contra descargas atmosféricas (SPDA) e também do sistema de aterramento elétrico.

Laudo de vasos sob pressão.

O documento que mantém o histórico de todos os equipamentos, em relação as inspeções, manutenções e intervenções necessárias mantidas em livro especifico, garantindo que os equipamentos operacionais sejam operados em condições seguras.

Elaboração de Laudo com informações das exposições ocupacionais ao risco vibração, subsidio para tomada de decisões quanto as medidas de controle a serem implantadas.

Elaboração de Laudo com informações das exposições ocupacionais a níveis de pressão sonora.

Subsidio para tomada de decisões quanto as medidas de controle a serem implantadas.

O Laudo de Periculosidade qual tem por objetivo o levantamento de dados que possibilitem determinar a existência, ou não, de agentes considerados como periculosos existentes nos postos de trabalho.

Elaboração de Laudo com informações das exposições ocupacionais a sobrecarga térmica, subsidio para tomada de decisões quanto as medidas de controle a serem implantadas.

Elaboração de Laudo com informações das exposições ocupacionais a agentes químicos, subsidio para tomada de decisões quanto as medidas de controle a serem implantadas.

Elaboração de Laudo com níveis de iluminamento nos locais de trabalho, identificação de melhorias e elaboração de projetos

Elaboração de Laudo com níveis de pressão sonora emitidos pelo uso de headset em  centrais de tele atendimento.